Com ‘certeza’ de permanência no Cruzeiro, Mano comemora continuidade de projeto em 2017

O futebol é muito dinâmico e pode mudar de uma hora para outra. Mas, no Cruzeiro, a permanência do técnico Mano Menezes é praticamente certa. O comandante, que tem contrato com o clube até o fim de 2017,  ajudou a Raposa a se livrar do rebaixamento à Série B do Campeonato Brasileiro deste ano e foi semifinalista da Copa do Brasil. Além disso, equipe é a 5ª colocada do returno da competição, atrás apenas de Palmeiras (1º), Botafogo (2º), Santos (3º) e Flamengo (4º) .

“Meu contrato vai até o fim do ano que vem. A gente vai, desta vez, executar o projeto com um pouco mais de continuidade na avaliação”, afirmou o treinador em entrevista ao Esporte Interativo. Mano também comentou sobre a reformulação do elenco para a próxima temporada, porém fez questão de ressaltar que o foco ainda está no Brasileirão.

“A tomada de decisão para a substituição de alguns jogadores vai ser tomada mais à frente, porque não faz sentido começar agora disputando um campeonato. Eu também tenho muito respeito pelos jogadores que estão aqui se dedicando da maneira como estão, para o Cruzeiro sair da situação onde se encontrava”, completou.

Em 2015, Mano Menezes chegou ao clube numa situação semelhante à deste ano. O treinador assumiu o Cruzeiro a dois pontos da zona de rebaixamento do Campeonato Brasileiro e promoveu uma arrancada, com grande respaldo da torcida. Porém, no fim do torneio, quando vivia excelente fase no comando da Raposa, o gaúcho recebeu oferta do Shandong Luneng, da China, e decidiu abandonar o projeto em Belo Horizonte que iria até dezembro de 2017.

2016 turbulento

Na parte de baixo da tabela em praticamente todo o Brasileirão desta temporada, o Cruzeiro “flertou” com o rebaixamento diversas vezes. No entanto, a situação mudou, o time cresceu de produção com o técnico Mano Menezes e, agora, ocupa a 13ª colocação, com 44 pontos. A quatro jogos do fim da competição, o comandante falou sobre a trajetória do time nos dois últimos anos no torneio de pontos corridos.

“O Cruzeiro sempre esteve respirando no campeonato, a diferença é que, agora, a gente está tirando os tubos. Estamos respirando mais naturalmente e a equipe vai reencontrando a situação mais adequada para a sua capacidade técnica. O Cruzeiro flertou perigosamente com a zona de rebaixamento nesses dois últimos anos. É lógico que o torcedor não quer ver isso, nem os jogadores e nem a direção também”, comentou o treinador.

“Certamente, alguma coisa não foi bem feita nesta trajetória. Pois vivemos esses dois anos situações como essa, diferentemente dos anos anteriores, quando o clube conquistou títulos (2013 e 2014). Cabe a nós, a partir deste momento, começar a fazer uma avaliação bastante criteriosa para que depois de sair desta situação a gente possa, no ano que vem, estar entre as principais equipes do país disputando competições”, projetou.

Fonte: Superesportes