Cruzeiro emprestará jogador novamente, e outro está de volta

No Brasileiro deste ano, com a camisa do clube que defendeu, o jogador disputou 16 jogos, marcando dois gols. “Nós estabelecemos um perfil e vamos buscar os jogadores de acordo com este perfil da equipe. O Náutico tem as características deste jogador. Foi o mesmo caso do Kieza e do Souza, que estavam precisando estourar e vieram para o Náutico”.

O atacante do Cruzeiro Rafael Silva, que disputou o Campeonato Brasileiro emprestado ao Figueirense, deve trocar de clube já no início da próxima temporada. O jogador está na lista de reforços do Náutico, e segundo o diretor de futebol clube pernambucano, Eduardo Henriques, a negociação está bem encaminhada.

O dirigente deixou claro que o negócio deve ser sacramentado nos próximos dias. “Ainda não tem nada fechado. Existe o interesse do Náutico. O Rafael é um bom jogador e desde o ano passado, quando ele estava no Vasco, estamos observando. Ele fez gols importantes, em jogos decisivos”, elogiou o dirigente em entrevista ao Superesportes.

Segundo Eduardo, com a camisa do Timbu, que não conseguiu o acesso à Série A do próximo ano, Rafael terá uma boa oportunidade de mostrar seu futebol. “Ele saiu do Vasco e foi para o Cruzeiro com uma boa expectativa. Foi o artilheiro do Cruzeiro no Campeonato Mineiro (com três gols, ao lado de Alisson), mas depois deu uma quedinha, e aqui ele tem tudo para explodir”, disse. “Talvez, pode ser que fechemos na semana que vem. Já falamos de valores e está bem andando o negócio.”

Rony

Já o atacante Rony, que estava emprestado pelo Cruzeiro ao Náutico, já voltou para a capital mineira. Principal jogador do clube pernambucano na Série B do Campeonato Brasileiro, com 11 gols marcados, o jogador ajudou o Timbu a ficar em quinto lugar, primeira posição abaixo dos clubes que foram para a Primeira Divisão. O Náutico brigou até a última rodada por uma das vagas.

Segundo Eduardo Henriques, a boa campanha do jogador tornou inviável sua permanência no clube. “Já devolvemos o Rony. Ele parece que tem boas propostas, não só daqui do Brasil, mas muitas propostas de fora. Fez vários gols na Série B, foi muito bem. Aprimoramos algumas coisas na finalização dele, já que temos, aqui, o Kuki (ex-jogador), que faz um trabalho específico com os atacantes. Ele ainda tem muito a aprimorar, mas foi muito bem. Pela avalanche de propostas que ele recebeu, ficou impossível ficar com ele”, disse.

Fonte: Superesportes