Cruzeiro negocia com coordenador da CBF: Clique e veja

O Cruzeiro negocia com Erasmo Damiani, coordenador das categorias de base da Confederação Brasileira de Futebol (CBF), para substituir Thiago Scuro na direção de futebol do clube em 2017. Segundo apurou o Superesportes, as conversas estão em andamento e os detalhes podem ser acertados no Rio de Janeiro, onde o presidente Gilvan de Pinho Tavares se encontra para prestigiar a festa de encerramento do Campeonato Brasileiro.

Por mensagem, Damiani desconversou sobre a eventual proposta e preferiu não se manifestar abertamente. “Por enquanto não tenho nada a falar”. Contudo, fontes ligadas à CBF e ao próprio Cruzeiro confirmaram à reportagem que o coordenador já foi procurado.

Erasmo Damiani, de 50 anos, coordena a base da Seleção Brasileira desde o início de 2015. Neste ano, a equipe sub-23, comandada por Rogério Micale – técnico contratado sob sua gestão –, sagrou-se campeã pela primeira vez do torneio de futebol masculino dos Jogos Olímpicos, evento realizado no Rio de Janeiro.

Antes de trabalhar na Seleção, Damiani passou pelas bases de Figueirense, Atlético-PR e Palmeiras. Em Santa Catarina, ele atuou ao lado de Klauss Câmara, atual diretor-executivo de futebol de base do Cruzeiro. Os dois construíram relação de amizade no Sul do país e, desde então, têm mantido contato frequente.

Gerência

Com duas passagens pela base na Toca da Raposa (julho de 2010 a agosto de 2011; e desde junho de 2014) Klauss Câmara é cotado para trabalhar no grupo profissional e assumir o cargo de gerente de futebol. Essa função não é ocupada desde que Valdir Barbosa se desligou do Cruzeiro, em agosto de 2015, e acertou com o Coritiba.

Com experiência vasta no futebol de base, Câmara chegou a ter a promoção estudada pela alta cúpula celeste em setembro de 2015, quando Isaías Tinoco foi demitido. O clube, no entanto, manteve o dirigente na base e, no fim daquele mês, contratou Thiago Scuro.

Sobre a possibilidade de fechar com o novo diretor de futebol, o próprio vice-presidente de futebol do Cruzeiro, Bruno Vicintin, e o supervisor de futebol, Pedro Moreira, são próximos a Erasmo Damiani, o que pode facilitar ainda mais a conclusão do negócio.

Negociações frustradas

Antes de procurar Damiani, o Cruzeiro tentou o retorno do diretor de futebol Alexandre Mattos, campeão brasileiro pelo Palmeiras, e ofereceu salário superior ao que ele recebia nos dois primeiros anos de contrato com o clube paulista. Mattos, porém, já havia dado sua palavra a Paulo Nobre, presidente do time alviverde, e prorrogou sua permanência em São Paulo por mais duas temporadas com condições economicamente melhores.

Curiosamente, Alexandre Mattos deixou o Cruzeiro em dezembro de 2014, depois de ter sido bicampeão brasileiro (2013 e 2014), sem que Gilvan se esforçasse por sua permanência em Belo Horizonte.

Outro profissional tentado pelo clube celeste foi Anderson Barros, do Vitória, mas recebeu a negativa em virtude de uma conversa já adiantada com o Vasco. Além disso, a família de Barros vive no Rio de Janeiro, o que facilitou em sua decisão.

Fonte: Superesportes