Sob ameaça de perder Ábila, Gilvan ironiza presidente do Huracán

Apresentado há exatos sete meses, Ábila já fez gols, conquistou a torcida do Cruzeiro, teve más atuações e voltou para o banco de reservas. Apesar de todo esse tempo, o clube brasileiro ainda não pagou o valor referente à contratação e sofre seguidas ameaças do Huracán, cujo presidente disse que iria solicitar o retorno do centroavante à Argentina. Gilvan de Pinho Tavares, mandatário celeste, afirmou já ter chegado a um acordo para a renegociação da dívida e garante não temer a possibilidade de perder o jogador.

“Não estou entendendo o presidente do Huracán (Alejandro Nadur), já conversamos, já acertamos. Ele está apertado e fica levando a coisa para a imprensa sabendo que está decidido. O dinheiro está chegando. Não o conheço pessoalmente, mas segundo me disseram é um sujeito apavorado, que leva as coisas desse jeito”, disse Gilvan na tarde desta sexta-feira, momentos depois da apresentação do volante Lucas Silva.

A ‘novela Ábila’ voltou à tona esta semana. Ao diário Olé, da Argentina, Alejandro Nadur ameaçou solicitar o retorno do atacante ao Huracán. “Vamos intimar [o Cruzeiro] a devolver o jogador”, disse.

O clube mineiro deve 1,5 milhão de dólares (R$ 5,4 milhões) referentes a uma das parcelas da negociação pelo atacante argentino. A princípio, o valor deveria ter sido quitado em dezembro de 2016. De acordo com Gilvan, o Cruzeiro usará o que receber de vendas de jogadores para pagar o Huracán.

“Estamos na mesma situação dele, com dinheiro para receber de vários clubes de transações que fizemos. Houve atraso no pagamento ao Cruzeiro, já havíamos conversado com ele sobre esse problema. Usamos amigos dele para tranquilizá-lo. Hoje, tive conhecimento que o pagamento do Roni (R$ 4 milhões do Albirex Niigata, do Japão) chegou, com atraso. Vamos repassar para ele”, garantiu.

Além de pagar o que deve referente aos 50% dos direitos de Ábila adquiridos em junho de 2016, o Cruzeiro se comprometeu a comprar os outros 50% dos direitos por US$4 milhões até dezembro de 2017. Caso o depósito não seja realizado, o atacante terá que retornar ao time argentino imediatamente, seguindo o clube celeste como sócio do ‘Globo’ no percentual do goleador.

As cobranças do Huracán tem se tornado recorrentes. O clube argentino emitiu duas notas oficiais a respeito do tema. A última delas foi em 14 de janeiro. Na ocasião, o ‘Globo’ deu dez dias de prazo para a quitação da dívida – o que não ocorreu.

Ábila tem contrato com o Cruzeiro até o final de 2020. O atacante argentino marcou 13 gols em 31 jogos disputados com a camisa celeste.

Fonte: Superesportes