Huracán recusa refinanciamento de dívida por Ábila e declara: “Vergonha”

O Cruzeiro ainda não entrou em acordo com o Huracán da Argentina para quitar a dívida relativa à compra de Ramón Ábila. Desde que fechou a aquisição de 50% dos direitos econômicos do atacante, em julho do ano passado, por US$4,2 milhões, o clube celeste pagou apenas US$2,7 milhões. O depósito foi feito em agosto. O acerto da diferença, de US$1,5 milhão, tem sido constantemente adiado.

Nesta quarta-feira, em entrevista à Rádio La Red, de Buenos Aires, o presidente do Huracán, Alejandro Nadur, voltou a queixar-se do Cruzeiro. O dirigente alega que, por conta do atraso, o contrato obriga o clube mineiro a antecipar a aquisição da outra metade dos direitos de Ábila, fixados em US$ 4 milhões. Logo, a dívida seria de US$ 5,5 milhões.

“É uma vergonha a questão do Cruzeiro. Não nos pagou US$ 5,5 milhões pelo Ábila”, declarou.

Por meio de sua assessoria de comunicação, o Cruzeiro admitiu que ainda busca uma composição com o Huracán. A última tentativa de “refinanciar” a dívida foi recusada pelos argentinos.

 “O Cruzeiro Esporte Clube fez uma proposta para refinanciar a parcela que venceu no fim de 2016 junto ao clube argentino. O Huracán não concordou. Ontem, o Cruzeiro se reuniu com o empresário do jogador e o mesmo se prontificou em intermediar a volta de diálogo entre os dois clubes”, disse a nota da assessoria, solicitada pelo Superesportes.

Há alguns meses, Alejandro Nadur chegou a declarar à reportagem que o não cumprimento dos compromissos por parte do Cruzeiro resultaria na “devolução imediata” de Ábila e uma ação na Fifa. Já o presidente cruzeirense Gilvan de Pinho Tavares descartou essa possibilidade em vários posicionamentos públicos sobre o caso.

”O Cruzeiro nos deve US$ 1,5 milhão ainda pelos 50% dos direitos. Caso não faça o pagamento em dez dias, terá que assumir a compra de 100% imediatamente, pagando US$ 1,5 milhão e ainda US$ 4 milhões líquidos, livres de impostos, pela outra metade. A consequência de não cumprir seria a devolução do jogador”, disse Nadur, em 30 de dezembro do ano passado.

Desde então, o Cruzeiro informou que dependia de receitas de algumas vendas para fazer o acerto com o Huracán. O clube negociou, por exemplo, o atacante Rony ao Albirex Niigata, do Japão, por R$ 4 milhões, e recebeu ainda R$ 5 milhões (1,5mi de euros) pela transferência do atacante Marinho, do Vitória, ao Changchun Yatai, da China.

Em fevereiro deste ano, Gilvan chegou a ironizar as cobranças feitas por Nadur na imprensa. “Não estou entendendo o presidente do Huracán (Alejandro Nadur), já conversamos, já acertamos. Ele está apertado e fica levando a coisa para a imprensa sabendo que está decidido. O dinheiro está chegando. Não o conheço pessoalmente, mas segundo me disseram é um sujeito apavorado, que leva as coisas desse jeito”, disse Gilvan momentos depois da apresentação do volante Lucas Silva, cedido pelo Real Madrid.

Ábila tem 21 gols em 42 jogos pelo Cruzeiro, com média de 0,5 gol por apresentação. No ano passado, ele balançou as redes 12 vezes. Nesta temporada, são nove gols.

Fonte: Superesportes