Veja o que Dedé disse sobre as vaias recebidas pela torcida do Cruzeiro

O Cruzeiro venceu a Chapecoense por 1 a 0 e leva a vantagem mínima para o duelo de volta das oitavas de final da Copa do Brasil, na Arena Condá, em Santa Catarina, no dia 1º de junho. Apesar do triunfo, o torcedor celeste que foi ao Mineirão não esteve satisfeito durante os 90 minutos e pediu mais empenho à equipe comandada por Mano Menezes – os cruzeirenses chegaram a iniciar vaias por alguns instantes. Depois da partida, o zagueiro Dedé minimizou a manifestação vinda das arquibancadas e afirmou que o time está “fechado” com a torcida azul.

A Raposa entrou em campo com muitas modificações na equipe considerada titular – foram cinco mudanças promovidas por Mano na escalação inicial. Dedé foi o escolhido para atuar na vaga de Leo, ao lado de Caicedo, e teve uma atuação segura, mesmo com o baixo rendimento coletivo. Para o camisa 26 celeste, a forma como o time atuou teve mais impacto pelo desenho do adversário e não pelo fato de o Cruzeiro ter a grande final do Campeonato Mineiro, no próximo domingo, no Independência, contra o Atlético.

“A intensidade (abaixo) é normal, talvez pelo fato da Chapecoense vir com o time muito fechado. Mas não considero vaia. É mais o hábito deles virem no Mineirão e sempre ver o Cruzeiro muito em cima (do adversário). O time deles veio muito fechado hoje, tentamos de tudo para fazer mais gols e não conseguimos. Não considero vaia, mas sim um incentivo para que a gente apertasse mais a Chapecoense quando o time deles estava muito fechado em um jogo muito difícil”, comentou o defensor.

O rendimento da equipe em campo pode não ter deixado o torcedor cruzeirense muito animado, mas o resultado coloca a Raposa em vantagem para o confronto de volta. Não ter sido vazado em casa favorece o jogo celeste, com uma defesa bem postada, esperando o adversário e contra-atacando com velocidade. Para Dedé, o triunfo tem que ser comemorado, mas já é hora de voltar todo o foco para o rival de domingo, na decisão do Estadual.

“Fizemos nosso objetivo, que é fazer gol e não tomar na Copa do Brasil. Deu tudo certo, começamos com o pé direito, com gol e sem tomar. Isso é importantíssimo. Vamos manter essa força do elenco, mesclando jogadores em diversas posições e dando conta do recado. É o bom trabalho do Mano. Agora temos que focar no que vem pela frente, que é a final do Mineiro”, apontou.

Avaliação do comandante

Para Mano Menezes, Dedé foi um dos destaques da partida. “Citei o Raniel e poderia citar o Dedé como das boas coisas que levamos do jogo de hoje. O Dedé jogando bem, num ritmo constante em 90 minutos. A defesa foi bem, ele e Caicedo atuaram bem. Então essas coisas são assim mesmo. Alguns tiveram um pouco de dificuldade, Lennon teve dificuldade, era natural por ser o primeiro jogo. As coisas boas vamos seguir, as coisas ruins vamos corrigindo. Temos consciência do que é bom ou não”, afirmou o treinador.

Fonte: Superesportes