Saiba quem é o novo candidato à presidência do Cruzeiro indicado por Zezé Perrella

Ao desistir da candidatura à presidência do Cruzeiro, Zezé Perrella indicou para a chapa “Tríplice Coroa” o nome de Sérgio Santos Rodrigues, ex-superintendente de futebol do clube. Aos 34 anos, o advogado é, por enquanto, a terceira opção para as eleições do fim do ano. As demais são César Masci, ex-presidente do clube entre 1991 e 1994, e o empresário Márcio Rodrigues. A ‘situação’ promete anunciar um nome para o pleito em breve.

”Acho que não tem favorito. Até porque uma coisa é a figura do Zezé, a outra sou eu com o apoio dele”, destaca o candidato, que segue como advogado de Perrella, acusado de ter recebido dinheiro de propina repassado pelo grupo JBS ao senador Aécio Neves. Nas redes sociais, ele criou o slogan “Cada ataque uma proposta” e justificou: “Tenho percebido no Cruzeiro é que não tem ninguém preocupado em apresentar ideias. Agora que o Perrella desistiu, me escolheram como alvo. Hoje começaram a dizer que o Sérgio é isso, aquilo”.

Mais jovem entre os concorrentes, Sérgio Santos Rodrigues defende uma gestão moderna e pautada no diálogo. Embora tenha feito parte da administração de Gilvan de Pinho Tavares desde o início, ele alega que, como superintendente de futebol, não tinha uma ‘participação ativa’ e discorda da forma como as decisões são tomadas no Barro Preto. “Sem entrar em detalhes, mas já teve caso que eu, no cargo de superintendente de futebol, eu não gostaria de ter feito uma contratação. E ela foi feita. Aconteceu isso várias vezes”. A elevação da dívida geral do Cruzeiro em 202%, entre 2011 e 2016, é outra crítica à atual gestão.

Na visão de Sérgio Rodrigues, o surgimento de três correntes de oposição retrata a “insatisfação” do conselho com o cenário atual do Cruzeiro, fora e dentro de campo. Apesar disso, ele recusa o rótulo de opositor. “Nossa divergência é no campo de ideias”.

No âmbito institucional, Sergio Santos Rodrigues vê necessidade de o Cruzeiro se reaproximar do presidente da Federação Mineira de Futebol, Castellar Guimarães Neto, de quem é amigo, para ter mais representatividade na entidade. “Ataque pessoal não vai levar ninguém a lugar nenhum”. Da mesma forma, prega inteligência na relação com o Atlético para que os rivais, juntos, possam pleitear por melhores acordos comerciais.

Quanto ao Mineirão, ele admite reivindicar ao governo estadual a transferência da gestão do estádio para o Cruzeiro caso o Atlético construa sua arena particular. “Se o Atlético fizer o estádio deles, o governo tem que dar o Mineirão para o Cruzeiro. Vão fazer o quê?”.

Nessa entrevista exclusiva ao Superesportes e ao Estado de Minas, Rodrigues revela ainda quem sonha ter como braço direito no futebol, se tem planos de manter Mano Menezes no cargo caso seja eleito e diz que a corrida eleitoral não pode ter reflexos no time de futebol. “Se acontecer algo de errado em campo, o problema é de quem está na gestão do clube. Atribuir isso para fonte externa, pra mim, é reconhecimento de fraqueza”.

Clique aqui para ler a entrevista na íntegra

Reprodução: Superesportes