Cruzeiro precisa melhorar aproveitamento como visitante para “firmar o pé” no G-6

Em sétimo lugar no Campeonato Brasileiro, o Cruzeiro agora faz dois jogos consecutivos fora de casa. Na próxima quinta-feira, às 19h30 (de Brasília), enfrenta o Fluminense, em Mesquita. Depois, vai até Florianópolis, onde pega o Avaí, domingo, às 16h. Para voltar ao G-6 ou quem sabe chegar ao G-4, que dá vaga direta para a fase de grupos da próxima Taça Libertadores, o Cruzeiro vai ter que melhorar seu aproveitamento jogando longe do Mineirão na temporada.

Até agora, foram 21 jogos como visitante no ano, com oito vitórias, sete empates e seis derrotas. O aproveitamento de pontos é de 49,2%. As partidas foram válidas por Campeonato Mineiro, Primeira Liga, Copa do Brasil, Copa Sul-Americana e Brasileirão.

Foram 16 cidades na rota cruzeirense em 2017. Em Minas Gerais, o time foi a Juiz de Fora, Patos de Minas, Teófilo Otoni e Ubelândia, além de quatro partidas no Independência, em Belo Horizonte, contra Atlético-MG e América-MG, nas quais não teve o mando de campo. Os jogos em outros estados do Brasil foram em Volta Redona, Murici, Joinville, Recife, Santos, Chapecó, Salvador, Campinas, Curitiba e três em São Paulo. Fora do país, o time foi até Assunção, onde pegou o Nacional-PAR, pela Copa Sul-Americana.

Pelo Campeonato Brasileiro, foram sete jogos longe do Mineirão, com duas vitórias, um empate e quatro derrotas. O percentual de pontos conquistado é de apenas 33,33%. O Cruzeiro venceu Santos e Atlético-PR, empatou com o Sport e perdeu para Atlético-MG, Bahia, Ponte Preta e Corinthians.

Para garantir que terminará a 16ª rodada no grupo que dá classificação para a próxima Libertadores, o Cruzeiro vai precisar de pelo menos quatro pontos nos seis que vai disputar, o que representa aproveitamento de 66,66%, ou seja, o dobro do que tem até agora no Brasileirão. Depois de Fluminense e Avaí, ficarão faltando três partidas para o fim do primeiro turno. Pela ordem, os adversários serão Vitória, no Mineirão, Vasco, muito provavelmente no Nilton Santos, e Botafogo, mais uma vez em casa.

Fonte: Globo Esporte