Mano explica substituições e considera justo empate com o Fluminense

No empate por 1 a 1 com o Fluminense, na noite desta quinta-feira, no Estádio Giulite Coutinho, em Mesquita, no Rio de Janeiro, o Cruzeiro fez um primeiro tempo muito bom e o segundo nem tanto. O resultado acabou sendo justo. As mudanças feitas pelo técnico Mano Menezes no segundo tempo não fizeram com que o time ganhasse força ofensiva, mas segurou o ímpeto do adversário e acabou equilibrando novamente a partida.

– Às vezes, o time não melhora com as substituições. A gente tinha o desgaste do Sassá, que era inevitável. Tinha o Élber com desgaste. Ariel sentiu. A gente tinha que fazer alterações. A primeira entrada foi a do Rafael Marques, precisávamos colocar alguém na esquerda para prender o Léo, do Fluminense. Depois saiu o Sassá. Optei por Bryan, para ter uma jogada aguda pelo lado esquerdo. Funcionou em parte. Controlamos a saída do Fluminense, mas não conseguimos chegar fortes, que era o que queríamos para vencer a partida. Depois, colocamos o Raniel. Às vezes, a gente pensa nas coisas, e nem temos todas as alternativas que gostaríamos de ter. Às vezes funciona bem, e às vezes não funciona.

O técnico cruzeirense concorda que o empate acabou sendo um resultado justo, pelo que os dois times criaram, cada um em um tempo.

– O Fluminense voltou diferente no segundo tempo. Nós tivemos dificuldade em controlar e perdemos aquele volume de jogo. Aí temos que reconhecer que o empate foi o resultado justo. Foi o pecado que cometemos no jogo. Não transformamos nossa superioridade em gols no primeiro tempo.

Talento no meio

Para Mano Menezes, o jogo teve um detalhe especial. O talento dos dois homens de armação. Pelo Cruzeiro, Thiago Neves, e pelo fluminense, Gustavo Scarpa.

– Os dois homens de função de camisa 10, embora o Thiago tenha jogado com a 30, foram os responsáveis pela criação de jogadas. Depois o Abel levou o Gustavo para jogar aberto. O Thiago tem muita facilidade para isso, e veja como nós crescemos de produção. Tive que mudar a forma da equipe jogar, por causa da dificuldade do Alisson. Por isso, o Thiago centralizou as jogadas. Élber ficou pelo lado esquerdo, e Sassá mais a frente. A equipe é como ela é num todo e cada um tira o seu melhor.

O Cruzeiro volta a jogar no próximo domingo, às 16h (de Brasília), quando enfrenta o Avaí, na Ressacada, em Florianópolis, pela 16ª rodada do Campeonato Brasileiro.

 Fonte: Globo Esporte