Por Ábila, Boca assumiria dívida com Huracán e cederia até dois jogadores

Enquanto o Cruzeiro adota a filosofia de não comentar sobre o interesse do Boca Juniors no atacante Ramón Ábila, e tampouco do interesse do jogador argentino em retornar ao seu país, na Argentina, Boca, através de seu presidente, Daniel Angelici, se manifesta abertamente sobre a vontade de contar com o centroavente. Aliás, a vontade é uma obsessão pessoal de Angelici, que, segundo a imprensa daquele país, deseja contar com Ábila já há algum tempo.

Há duas semanas, o mandatário do Boca Juniors tem concedido entrevistas colocando o atacante do Cruzeiro como um dos prováveis reforços da equipe xeneize. A negociação teria inicado a partir da insatisfação de Ábila com as poucas oportunidades na equipe de Mano Menezes. Um intermediário teria oferecido o jogador ao clube argentino, que parece estar disposto a fazer um certo esforço para contar com o atleta.

A NOVELA ÁBILA NO BOCA JUNIORS
Presidente do Boca admite desejo em Ábila, insatisfeito no Cruzeiro
Boca segue na cola de Ábila, mas Cruzeiro nega proposta oficial

Apesar de a diretoria do Cruzeiro desconversar sobre uma proposta oficial do Boca – o diretor de futebol Klauss Câmara confirma sondagens para vários jogadores, mas nega qualquer oferta -, a imprensa argentina noticia que os clubes estão mesmo em negociação, e que o clube mineiro teria até pedido um atleta em especial em troca, por empréstimo. Trata-se de Marcelo Torres, chamado de ‘Chelo’ Torres, jovem atacante, de 19 anos, que atua pela equipe B do Boca, e que foi destaque da seleção argentina sub-20 neste ano (sete gols em 10 jogos).

Segundo o diário argentino Olé!, o Boca Juniors assumiria a dívida que o Cruzeiro tem com o Huracán pela compra de 50% dos direitos econômicos de Ábila, no valor de US$ 1,5 milhão, e cederia um ou dois jogadores para a Raposa. Apesar de o clube mineiro pedir Marcelo Torres, o Boca estaria disposto a ceder o atacante Solís, de 23 anos, e o meia Alexis Messidoro, também de 23 anos, que está no Sport Boys-BOL.

Ao mesmo tempo, o Boca Juniors pagaria US$ 2,5 milhões ao Huracán, além de ceder um jogador ao Globo, para adquirir os 50% de Ábila que pertencem ao clube. Caso isso aconteça, o Boca venderia o atacante Walter Bou, que interessa ao Racing, onde atua o seu irmão, Gustavo Bou. O clube xeneixe pede US$ 5 milhões para negociar Walter Bou.

A novela envolvendo Ramón Ábila, Boca Juniors e CRuzeiro deve ter capítulos decisivos nos próximos dias, quando a diretoria da Raposa deve se pronunciar sobre a proposta feita pelo clube argentino.

Entenda o imbróglio com o Huracán

Além da insatisfação por não estar jogando, Ábila é um dos protagonistas da novela que se arrasta entre Cruzeiro e Huracán-ARG. O atacante foi contratado pelo Cruzeiro em agosto do ano passado, por pouco mais de R$ 13 milhões (por 50% dos direitos do jogador). A Raposa, imediatamente após a transação, pagou parte do valor, mas ficou devendo a outra parcela, que deveria ser paga em dezembro (de aproximadamente R$ 4,8 milhões), mas ainda não foi acertada. Em função da demora, o Huracán começou a pressionar o Cruzeiro. Sem retorno, foi à Fifa, que fez a intimação.

Além da dívida – ainda para quitar os 50% já adquiridos -, a Raposa ainda precisa abrir os cofres para comprar a outra metade do direito do atacante, como prevê o contrato. O Cruzeiro tem até o fim desta temporada para adquirir os outros 50% do jogador (o valor é de 4 milhões de dólares, cerca de R$ 12,6 milhões). Caso não realize o pagamento, Ábila será devolvido ao Huracán.

Fonte: Globo Esporte